Uma casa que respira arte contemporânea e um gato tigrado

Assim que nos abriu a porta, percebemos que toda a nossa curiosidade por esta casa tinha os seus motivos. A luz que espreitou do outro lado da porta e o sorriso da Carolina deixaram-nos desde logo descansadas. Afinal, entrar em casa de quem conhecemos naquele momento, pela primeira vez, e sem uma ideia do que lá está dentro, pode criar-nos alguma ansiedade 🙂

A Carolina dispensa apresentações nas redes sociais. Na sua conta de instagram mostra-nos um bocadinho do seu lado mais artístico, da conjugação entre o dia-a-dia rotineiro e peças irreverentes de moda, numa descontração que nos desperta a curiosidade. Já há muito que tínhamos vontade de conhecer a casa que guarda toda esta forma descontraída de publicar coisas que, de tão simples, se tornam tão autênticas.

O ar está fresco e a luz desta manhã de novembro, que invade toda a casa, tornam-na numa das mais especiais onde já entrámos. As divisões não são muitas, mas suficientes. A Carolina mudou ligeiramente a disposição da casa, porque precisava de um armário com que se sentisse à vontade, por isso, onde era a sala é agora o quarto. Os tons neutros contrastam com pequenos apontamentos de cor, maioritariamente livros, e o seu gato tigrado cor de laranja, o Zappa.

Os livros levam-nos para o mundo das artes, da moda e da arquitectura, onde a Carolina gosta de se inspirar. Para além disso, vemos algumas das suas obras expostas pelas paredes. Peças feitas através de colagens e que nos conquistaram de imediato. Na sala, todos os pormenores são relacionados com moda, fotografia ou ilustração, pelo que nos atrevemos a dizer que é uma pessoa muito “visual”.

É também num dos recantos da sala que está a mesa de trabalho da Carolina, que é designer. É lá que passa a maior parte do seu tempo a criar. Enquanto bebemos um chá quente na cozinha confessa-nos que uma das zonas que mais gosta em sua casa é da varanda/marquise. Com uma vista desafogada sobre o rio, é lá que, em muitos finais de tarde de verão, abre todas as janelas e recebe os amigos para um copo.

Essa foi aliás uma das nossas dúvidas, como se recebe amigos em casa quando o espaço é pequeno?

Adoro receber amigos! Jantamos na sala ou então distribuídos pela sala e pela marquise, que tem uma janela grande que dá para a sala. Adoro esta combinação, dá uma dinâmica engraçada. No verão gosto de abrir as janelas todas e jantar na “varanda”. É a melhor parte da casa.

O espaço não deve ser impedimento de partilharmos momentos em família ou amigos, assim como de termos uma casa que reflita os nossos gostos pessoais. Sendo um reflexo do que somos, como nos confessa – nunca tive nenhum plano nem objectivo, a minha casa está sempre a mudar, acho que me vai acompanhado ao longo do meu crescimento e muda comigo, é mesmo um reflexo de mim.

Apesar de ser perfeitamente adaptável, a Carolina explica-nos que, com as rendas a aumentarem, também não está livre desta epidemia, pelo que se a casa um dia pudesse vir a ser mesmo dela começava por fechar o quarto (que são dois quartos na verdade) e ficava com um para dormir e outro roupeiro e escritório. Restaurava o chão todo que já está muito muito velhinho. E também abria a cozinha para a sala e marquise para ficar uma área muito maior.

Neste apartamento tão acolhedor e onde os óleos essenciais se difundem pela casa a Carolina gosta de trabalhar e pintar, nunca tive nenhum problema com isso! Também não há nada melhor que longas tarde de domingo no sofá.

Apesar de termos tentado convencê-la de que as suas colagens e pinturas são dignas de uma exposição, a Carolina não está muito à vontade com essa ideia – nunca pensei muito nisso, gosto de pintar e fazer colagens porque me dão realmente gozo e só de pensar que poderiam ir para uma exposição fico logo com imensa pressão em cima e parece que não consigo fazer mais nada. Mas quem sabe se um dia tiver muito stock! 

Nós vamos fazer figas para que isso aconteça, porque achamos que deviam estar expostas em paredes para além deste apartamento. Até lá, vamos namorando as partilhas no Instagram e seguindo atentamente as tendências de lifestyle que a Carolina nos traz. Afinal, a arte não está apenas em peças de roupa, pinturas e esculturas – está também presente em estilos de vida que saem ligeiramente do que é comum.

 

Obrigada pela empatia imediata e pelo chá quente numa manhã fria de outono!

 

Vídeo completo da House Tour aqui.

Escrito por: Francisca e Joana

Somos a Joana e a Francisca, alinhamo-nos na simplicidade das coisas e complementamo-nos nas diferenças do dia-a-dia. Queremos partilhar o que nos inspira e o que nos leva a ser mais felizes. Acreditamos que esta partilha tem também o poder de inspirar o mundo a fazer o mesmo. Ler mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *