Libertar pensamentos tóxicos

Quando cuidamos de nós tornamo-nos muito mais pacientes. Através do auto-amor libertamo-nos de pensamentos tóxicos que intoxicam o nosso organismo. Mas como podemos praticar este auto-amor? Simples. Introduzindo na nossa rotina práticas simples que nos trazem confiança e sensação de bem estar. Estas práticas vão alimentar novos comportamentos, novas formas de pensar e de comunicar, o que promove uma atitude cerebral mais positiva. É preciso reeducar o nosso cérebro para esta mudança, segundo nos diz a Rute Caldeira, e com persistência e repetição ele próprio fará esse trabalho automaticamente:

1- Começar o dia com um agradecimento

Antes de iniciarmos a nossa rotina, devemos fazer um exercício de agradecimento: sentarmo-nos por cinco minutos e agradecer todas as coisas boas que compõem a nossa vida (trabalho, casa, conquistas, pessoas que nos amam, desafios superados ou o simples facto de estarmos vivos). 

2 – Usar sempre frases positivas

Libertarmo-nos das frases que representam convicções limitadoras e que travam a nossa caminhada e conquistas. Com treino, conseguiremos passar a usar sempre frases positivas, o que vai reduzir as nossas limitações. Uma ideia é colocar um elástico discreto no pulso e, de todas as vezes que usarmos algum termo negativo (não consigo, nunca, palavras negativas) puxamos e soltamos o elástico, para nos lembrarmos de substituí-los por termos positivos (vou tentar, estou certo de que consigo, quero isto!).

3 – Assumir que somos profissionais confiantes

No caminho para o trabalho, repetimos o maior número de vezes possível: “eu sou um profissional extraordinário, o meu trabalho é um excelente contributo para a empresa onde estou”. Assim, iniciamos a rotina com um sorriso. Estamos a criar maior disposição e motivação para o dia que se segue e daremos, com toda a certeza, o nosso melhor.

4 – Usar as filas de trânsito para descontrair

Temos tendência para algum nervosismo e stress quando estamos no trânsito, mas podemos usar estes momentos para nos libertarmos de coisas que nos fazem mal. Colocar uma música da qual gostamos mesmo muito, cantar e focarmo-nos na nossa respiração. Inpirar, guardar o ar e deitar fora. 7 vezes seguidas. E sorrir. Este tempo é só nosso e devemos desfrutar dele.

5 – Sermos objectivos para resolver problemas

Sempre que nos surge um problema fazermos a perguntar “De que recursos disponho para resolver isto? Que qualidades minhas já resolveram este desafio anteriormente? Como posso simplificar?” Automaticamente o nosso sub-consciente apresenta-nos respostas e recursos de que precisamos. Assim, aliviamos o desgaste emocional e somos mais rápidos e práticos, tornando-nos mais leves e descontraídos. 

6 – Parar, escutar e olhar

Quando temos a mente a mil à hora, devemos parar tudo o que estamos a fazer! Por breves instantes devemos focar-nos na audição: que sons temos à nossa volta? Conseguimos ouvir o nosso coração? Se colocarmos a nossa atenção no nosso ritmo cardíaco saímos da repetição de pensamentos que nos estavam a desgastar, desviámos a atenção para outras coisas. Assim tornamo-mos mais clarividentes e este distanciamento permite que possamos ver tudo com mais clareza e tranquilidade.

7 – Fazer exercício físico

É uma excelente ferramenta para libertar o que nos intoxica, seja a nível alimentar, seja emocional. Enquanto movemos o corpo, activamos a produção de neurotransmissores que irão combater a hormona do stress. Ao limpar essa hormona, aumentamos a imunidade, expulsamos a irritabilidade, tensão e ganhamos saúde e alegria.

8 – Reservar uns minutos do nosso dia para meditar

A meditação faz milagres! Varre os fantasmas que acumulamos e liberta-nos de medos e preocupações. Devemos escolher o início da manhã ou da noite para esta prática. Desligar do mundo exterior e ligarmo-nos ao mundo interior. O que se passa dentro de nós? O que sentimos? Habituarmo-nos a estabelecer esta ligação connosco é quase uma necessidade.

9 – Respirar de forma profunda

Se soubéssemos respirar, o stress seria algo que desconheceríamos. Quando respiramos de forma profunda e vagarosa, abrandamos o ritmo cardíaco, reduzimos a actividade mental e os níveis de adrenalina no corpo, o que é excelente para evitar reacções nervosas, ataques de pânico e discussões. Todos os dias de manhã e à noite fazer 7 respirações profundas (sempre a partir do nariz) de olhos fechados (para reduzir a actividade mental), inspirar calma e profundamente e guardar o ar cerca de 5 segundos. Depois expirar de forma ainda mais prolongada. Quando voltamos a abrir os olhos a sensação é de uma pacificidade incrível .

10 – Ler uma frase positiva antes de adormecer

Antes de dormir devemos focar-nos sempre em coisas boas. Ler e ouvir relatos positivos, alegres e construtivos. Escolher um livro positivo ou uma frase que nos inspira e fazer melhor amanhã. Desta forma iremos adormecer tranquilamente e essa tranquilidade irá fazer-nos acordar de bem com a vida!

 

Artigo baseado no livro “Liberta-te de pensamentos tóxicos” – Rute Caldeira

Escrito por: Joana

Joana. Casada com o João. Mãe do Sebastião. Mãe emprestada de uma Teckel, a Sushi, e de um gato rafeirão, o Tozé. Vive em frente ao mar e adora o campo. Quer alcançar o significado da palavra devagar. Viver devagar, saborear cada segundo e cada detalhe. Ler mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *