Decorar o quarto dos mais novos

Decorar o quarto dos miúdos pode ser um óptimo exercício criativo. Tudo começa quando chega o primeiro filho; mais tarde podemos sentir a necessidade de adaptar ou reformular a decoração, com a chegada de outro filho ou à medida que eles crescem. É, talvez, dos espaços da casa que pode mudar mais ao longo do tempo, seja porque se vai alterando por necessidade – passar a acomodar mais um ou dois -, seja porque crescem, os gostos mudam e os propósitos do espaço também.

Nos primeiros anos, o quarto pode ser simplesmente para dormir. Há quem opte e tenha a possibilidade de ter um quarto apenas para os brinquedos, há quem tenha esse espaço mais na sala ou noutro sítio da casa. Noutros casos, o quarto pode servir para tudo, mas à medida que crescem o espaço que era só de brincadeira dá cada vez mais lugar a um espaço de trabalho. O que é mais constante é o espaço de descanso – a cama – e a arrumação.

Seja qual for a opção, é sem dúvida um espaço onde devemos investir, afinal, é onde passam grande parte do seu tempo e onde crescem. É também onde podemos talvez arriscar mais e dar asas a um lado mais criativo e divertido, mesmo que seja apenas através de apontamentos.

Um quarto para o menino e para a menina

Num momento em que cá em casa estamos a redefinir a decoração do quarto dos miúdos, decidi partilhar algumas imagens que, de alguma forma, nos servem de inspiração.

A decoração de base não muda muito, desde o início que quis manter o quarto com uma base sóbria e unissexo, que desse para adaptar mais tarde, como é o caso agora. A Teresinha está quase a mudar para o quarto do Lourenço – a ideia é que vá por volta dos seis meses.

As paredes sempre foram brancas e têm apenas, na parede onde ficam as camas, uns triângulos autocolantes pretos. Vamos manter isto, entra uma nova “cama de crescido” para o Lourenço e a Teresinha fica com a cama de grades, que era dele.

A mobília anda toda entre o branco e a madeira clara e a cor e os contrastes ficam todos para os apontamentos da decoração, os brinquedos e os livros.

Até agora, os tons dominantes eram o branco-madeira-cinzento da base + o contraste do preto na parede + alguns apontamentos néon (amarelo) na decoração (um banco, umas caixas, uns pompons no tapete). Vamos manter esta palete, mesmo nos novos elementos.

 

A ideia é manter tudo o que serve para arrumação – armário, cómoda e armário dos brinquedos não mexe – e mudar camas (entra uma nova), o cantinho da leitura e estudar a melhor disposição do espaço.

Actualmente, temos duas prateleiras cheias de livros com um cadeirão e um puff de apoio onde todas a noites lemos uma (ou mais!) história. Para o quarto ganhar mais amplitude e para cabermos todos na hora da história, decidi dar uma nova vida a este canto. Sai o cadeirão, entram dois colchões de chão com almofadas, de forma a criar um canto confortável e, ao mesmo tempo, divertido.

 

 

Divirto-me mesmo a pensar na decoração deste espaço e a tentar criar um ambiente confortável, funcional e com um toque de magia – não é mesmo disso que as crianças precisam? O quarto deles tem um tecto esconso com uma janela de sótão e uma mini porta para um terraço só deles, uma espécie de passagem secreta, o que acho que dá este toque de magia ao ambiente.

No nosso caso, vamos juntá-los no mesmo quarto por opção – não tive essa experiência mas sempre achei que seria engraçado partilhar o quarto com um irmão/irmã com idades próximas. E, também por opção, não temos outro quarto só para brinquedos. Existe bastante arrumação para os brinquedos no quarto e espaço para brincar, mas também há vários cantos pela casa onde o podem fazer.

Sempre pensei que, quando fosse mãe, não queria que a minha sala virasse playground, mas a verdade é que existe um cantinho perfeito para os brinquedos, debaixo das escada, que tinha de ser aproveitado. Além disso, a cozinha de brincar também está na nossa cozinha, o que faz com que, muitas vezes, o Lourenço esteja a ‘cozinhar’ ao mesmo tempo que estamos a fazer o almoço ou o jantar. Nesta fase faz-nos sentido assim e tem funcionado bem, porque as coisas acabam por ficar bastante integradas e assim podem estar sempre a brincar na zona da casa onde estamos.

Também adoro os quartos em tons mais pastel e terra, como tanto se vê agora, mas também os acho mais girly, por isso acho que para já a combinação que temos resulta de forma harmoniosa e perfeita para os dois.

 

Podem ver aqui o moodboard de inspiração completo, com várias das ideias que referi.

Em breve, partilharei o resultado final, numa espécie de antes e depois.

Escrito por: Francisca

Alfacinha e fã assumida da sua cidade. Nasceu e cresceu em Lisboa e embora adore sair e viajar, gosta sempre de voltar. Gosta de dias de sol, flores campestres, coisas imperfeitas e mergulhos no mar. Ler mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  • Por cá vivemos num T3 e os manos (um casal) dormem no mesmo quarto. Fiz exactamente o mesmo: ainda com o 1º na barriga, optei por uma decoração em tons neutros (branco e cinza) para que desse para futuros filhos. O 3º quarto virou o playroom com muitas caixinhas, prateleiras, caixas de arrumação e uma mini-biblioteca para os livros mais interactivos. No quarto onde dormem têm os brinquedos com os quais dormem e o cantinho de leitura, composto pelos livros que leio antes da hora do sono. Tem resultado bem – só gostava que a meio da noite fugissem menos para a cama dos pais =)