Para o fim-de-semana

Este fim-de-semana vai começar com um double date, com direito a jantar e teatro. Vamos ver A Verdade, de Florian Zeller, que está no Teatro Aberto. Estou curiosa, porque o feedback que já ouvi foi bastante bom. Este peça está em cena ao mesmo tempo que A mentira. Duas peças do mesmo autor, em dois espectáculos diferentes, representados pelo mesmo elenco, põem-se as variáveis do que será verdade e do que será mentira à discussão e demonstra-se como a arte de representar se pode desdobrar em múltiplos sentidos.

 

Uma das séries do Netflix que tem feito mais ‘furor’ nas últimas semanas é a da Marie Kondo, a rainha da arrumação. Para quem não conhece, Marie Kondo é japonesa e uma guru no que toca à organização e arrumação de casas. Roupas, objectos pessoais, brinquedos, you name it. Há uns tempos, já tinha ouvido falar do método, folheado o seu livro e até tirado algumas ideias para a arrumação das minhas gavetas de roupa. Agora, chega-nos via série, apelando à organização e ao ‘destralhar’. Acho este princípio óptimo, já o apliquei e quero aplicar ainda mais. Seleccionar as coisas que de facto me trazem ‘alegria’ e deixar ir as que não trazem. Mas, na onda desta ‘febre da arrumação’, em que há sempre um monte de coisas para deitar fora, achei pertinente esta perspectiva: este ‘lixo’ não desaparece simplesmente. Este método, só por si, pode encorajar uma cultura ‘descartável’. A própria cultura japonesa em um termo, mottainai, que tem a ver com re-usar, dar um novo propósito, reparar, respeitar os objectos. Numa altura em que, mais que nunca, faz sentido falar em sustentabilidade e consumo consciente, esta podia ser uma ideia interessante de incorporar neste método revolucionário.

 

Ainda no Netflix, esta semana comecei a ver O renascimento do parto, parte 2. Já tinha visto o primeiro e tinha achado interessante/alarmante. Focado na realidade brasileira e na controversa prática de cesarianas, conta com os testemunhos de várias mães e médicos. Esta segunda parte defende sobretudo uma maior autonomia para as mulheres decidirem sobre o tipo de parto. Ainda na semana passada abordámos aqui este tema e ainda voltaremos a abordar, por isso não podia achar ainda mais apropriado. Super aconselho a grávidas, futuras mães, e a mulheres em geral que gostem de estar informadas sobre estes temas. Há ainda uma terceira parte, que também quero ver assim que conseguir.

 

Um restaurante mexicano relativamente recente em Lisboa, o Izcalli, também está na lista para experimentar um dia destes. Quem mo ‘apresentou’ foi a Joana, que já lá foi e diz que vale mesmo a pena. É uma antojeria, conceito onde predominam os antojitos, típicos da cultura mexicana. O restaurante é pequeno e a reserva é obrigatória (via site).

 

E, por falar em comida, há boas notícias no que toca à alimentação: segundo estudos científicos recentes, uma dieta plant-focused pode prevenir milhões de mortes por ano e evitar as alterações climáticas. Com a população mundial a aumentar a um ritmo elevado, alimentar-nos a todos de uma forma saudável e sustentável é uma preocupação actual. O caminho é, sem dúvida, ter uma alimentação que seja melhor para a nossa saúde e melhor para o planeta e, por isso, esta comissão internacional propõe algumas soluções para endereçar este tema. Mais sobre este tema aqui e aqui.

Photo by Brooke Lark on Unsplash

 

Tenham um óptimo fim-de-semana!

 

Escrito por: Francisca

Alfacinha e fã assumida da sua cidade. Nasceu e cresceu em Lisboa e embora adore sair e viajar, gosta sempre de voltar. Gosta de dias de sol, flores campestres, coisas imperfeitas e mergulhos no mar. Ler mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *