Uma casa com cheiro a Natal e vista para o mar

A Joana dispensa apresentações. Mais conhecida como Violeta Cor de Rosa, dona de um sentido estético irrepreensível, parece que tudo na sua vida tem esta curadoria simples de coisas bonitas. Talvez por ser arquitecta, tudo aquilo em que toca e se envolve é fácil e naturalmente bonito.

Chegamos pouco depois da hora combinada. Antes, uma paragem no centro da Ericeira para almoçar, no delicioso GiG (ficámos fãs!).

A bonita coroa pendurada na porta de casa faz anunciar o Natal, quase a chegar. Embora já tenhamos visto vários pormenores da decoração, que a Joana vai partilhando no seu blog e instagram, a reacção é logo ‘uau’ –  a casa é ainda mais bonita do que tínhamos imaginado.

Uma sala ampla, com grandes janelas, é o cartão de visita da casa. A luz entra e, ao fundo, vê-se o mar. A Joana conta-nos como foi o processo de remodelação da casa, há 11 anos, quando a encontraram e se mudaram para aqui.

A decoração tem uma mistura de estilos, desde o nórdico ao boho, sempre com muita personalidade, a espelhar a vida que por aqui (se) passa. Afinal, a Joana é uma pessoa muito visual e tem um sentido estético que nos chega, tanto através do seu trabalho, como do seu instagram. Não é por acaso que, quando pensámos em começar a fazer House Tours, ainda nem o Fox&June tinha visto a luz do dia, esta foi uma das casas com que “sonhámos”!

Entre peças de família e objectos mais contemporâneos, todos os espaços contam uma (bonita) história. Os tapetes coloridos espalhados pela casa foram trazidos pelos Pais de Marrocos, numa viagem que fizeram todos juntos. O armário bengaleiro que está no quarto das miúdas, pertencia à Avó e já tinha estado no seu quarto, em casa dos Pais. De vez em quando, a cor do armário muda, assim como a de algumas paredes e outros objectos – afinal, a Joana adora fazer este género de coisas com as próprias mãos.

Ficamos a conversar pela cozinha, enquanto a Joana nos conta um bocadinho sobre as rotinas com as miúdas, sobre como é trabalhar em casa com uma bebé sempre por perto, e sobre o novo projecto, numa casa de família no Alentejo, que estão a pensar desenvolver.

A conversa flui e lá fora o céu passa de cinzento a azul, chove e faz sol, tudo num par de horas. Estamos no Oeste e o tempo é mesmo assim. Mas nem a chuva, nem o vento, abalam o conforto que se sente cá dentro. A grande lareira ao centro da sala oferece o calor e o aconchego necessário nos dias mais frios. Pelas grandes janelas da sala, conseguimos ver o mar. Uma vista desafogada e tranquilizante. O vento e a chuva batem no vidro mas, cá dentro, está calor. Há um pinheiro enfeitado com luzinhas a piscar, música de Natal de fundo e um chá a acompanhar uma fatia do melhor bolo de chocolate que há (Landeau).

Tens um bom gosto indiscutível, e isso vê-se não só no teu trabalho, como no que publicas no instagram e na vossa casa. De onde herdaste o teu sentido estético? A tua formação (em arquitectura) é a causa ou a consequência disso?

Nem sei bem se tenho algum sentido estético. Sei que sou apaixonada pela beleza das coisas no seu sentido mais simples e prático. Respiro isso, vejo isso “como um todo” ao longo da minha vida e no dia-a-dia – seja na maneira de estar, vestir, na casa. A formação em arquitectura ajudou-me talvez a dissecar isso em alguns campos da minha vida.

Como defines o estilo da vossa casa?

A nossa casa tem uma base moderna salpicada por um género eclético.

Tens algum objecto ou elemento na decoração que seja mesmo especial ou que conte uma história?

Tenho, o bengaleiro que era da minha Avó paterna. Esteve em casa dos meus Pais à entrada da casa – recebia os casacos. Foi o meu primeiro guarda vestidos e neste momento está há 10 anos no quarto das minhas filhas à servir de “biblioteca”- na altura tirei medidas e fui mandar cortar à medida prateleiras. Fui eu que montei tudo e até acho que consegui desenrascar-me. Não altura era uma peça muito marcante – hoje em dia que se misturam mais estilos já parece uma “peça mais normal” mas gosto da sua história. Originalmente era verde (a cor que tem agora) com frisos dourados.

Onde cabe uma, cabem duas ou três. Neste momento, as vossas 3 filhas partilham o mesmo quarto. Como vês essa opção a médio prazo?

Como elas têm a sorte de ter dois quartos para mundos diferentes: de dormir e brincar acho que se vão manter assim durante muitos bons anos ou até que a mais velha queira arranjar o seu espaço – ainda da para ampliarmos a casa (riso)

Em que é que a maternidade te mudou?

A maternidade ajudou-me a ser “multi-funções”. Por exemplo: antigamente não gostava de ser interrompida enquanto trabalhava, enquanto projectava/ criava algo. Hoje em dia faz parte ser interrompida a toda a hora.

Passei a ser muito mais serena – para ganhar forças para o desafio diário que é ser Mãe.

Como é que começaste a fazer ilustrações e como surgiu a ‘Violeta Cor de Rosa’?

A Violeta Cor de Rosa surgiu numa fase de interregno da Arquitectura. Por motivos de saúde a minha filha mais velha teve que ficar em casa e deixar a escola – e eu que deixar o meu emprego. Claro está que, em casa, fui explorando projectos que já tinha na gaveta há muito tempo. Na altura a Violeta Cor de Rosa surge para dar um pequeno “boost” ao universo infantil – na área da decoração. Comprava muita coisa lá fora porque cá a oferta era sempre muito limitada. Daí a criar a loja online foi meio caminho andando – mas não foi fácil. Estamos a falar numa altura em que a venda online praticamente não existia e as pessoas ainda tinham um certo medo em fazer compras on-line.

Onde vais buscar inspiração para o teu trabalho?

É uma das coisas que me perguntam tanto e eu tenho sempre alguma dificuldade em responder. Eu gosto muito de “olhar lá para fora”. Não no sentido poético. Olhar mesmo. Tentar preencher algum espaço que me falta, alguma cor que desejo que esteja presente na minha vida. Algum conforto. As minhas filhas são óptimas a desbloquear-me isso!

Obrigada, Joana, do fundo do coração.

Escrito por: Francisca e Joana

Somos a Joana e a Francisca, alinhamo-nos na simplicidade das coisas e complementamo-nos nas diferenças do dia-a-dia. Queremos partilhar o que nos inspira e o que nos leva a ser mais felizes. Acreditamos que esta partilha tem também o poder de inspirar o mundo a fazer o mesmo. Ler mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  • A casa é lindíssima! Sou fã da Violeta Cor de Rosa! Tenho pena que não dê para ver melhor a parte da mesa de jantar e lareira 🙂 Beijinhos