5 restaurantes de outro nível

O Natal aproxima-se e nem sempre sabemos o que devemos oferecer a quem mais gostamos. Roupa, perfumes, livros, aparelhos electrónicos, acabam por ser os presentes a que recorremos sempre mas que deixam um bocadinho a desejar em termos de criatividade. Numa altura em que devemos pensar mais conscientemente e numa abordagem mais minimalista, acumular coisas não nos traz grande felicidade. São as experiências e os momentos vividos com essas pessoas que nos marcam na nossa vida e que nos remetem para memórias a que gostávamos de voltar.

Nesse sentido, porque não oferecer experiências? Como um jantar a dois num sítio especial? Basta escrever um postal ou cartão que aquele presente vale um jantar num bom restaurante para imediatamente vermos o agrado de quem lê.

Por isso hoje deixamos as nossas sugestões de restaurantes que valem mesmo, mesmo a pena. Aquele tipo de sítio onde não podemos ir todos os meses, mas que nos marca garantidamente. Não os vejam apenas como refeições, mas sim experiências gastronómicas e preparam-se para serem levados para um noite especial, com um toque de elegância e comida que ainda hoje nos deixa com água na boca!

Loco

“Uma árvore, um fogão. Luz, pedra, natureza. LOCO significa no lugar, ou seja, na cozinha. E a cozinha é o coração do chefe Alexandre Silva e da sua equipa.”

Este é o restaurante onde queremos sempre voltar. Depois de três visitas continuamos a ser surpreendidos repetidamente. Até porque os alimentos são orgânicos e valorizam a produção nacional, logo a ementa baseia-se na natureza e vive ao sabor das micro-estações.

São dois menus à escolha. Um com 18 momentos (sim, são 18 pratos excepcionais) e outro que para além desses 18 momentos tem incluído o serviço de queijos (quisemos experimentar este da última vez e ainda hoje penso naqueles queijos que são feitos no próprio restaurante).

No Loco há uma constante corrente criativa. Inspiram-se na tradição e gastronomia nacional e elevam os pratos a outro nível conceptual, desafiando as regras, pesquisando e experimentando novos procedimentos. Têm uma estrela Michelin e quando remeto a memórias felizes lembro-me muitas vezes do mil folhas de pele de galinha e soro de iogurte fermentado ou momento do pão, com o molho do bife à portuguesa, a manteiga de natas, lúcia lima e flor de sal.

Um verdadeiro momento gastronómico, um presente que vai mudar a vossa história.

Restaurante Loco

Epur

O Epur é o novo restaurante do chefe Vicent Farges. E como os próprios o dizem é “uma gravitação degustativa”.

Em pleno Chiado, a entrada passa despercebida. Lá dentro, a decoração é simples e despretensiosa. Mantiveram os azulejos tradicionais do edifício e modernizaram o espaço com meses e cadeiras minimalistas. Se tiverem sorte (como nós tivemos) ficam com a mesa com vista para o Rio Tejo e além da experiência degustativa são assoberbados pela vista espectacular.

O conceito do Epur é deixarmo-nos guiar. Pelo palato, claro está. São 6 momentos deliciosos que nos mantêm sempre no suspense do que virá a seguir. Começámos com um ceviche vegetal de kombu, acabate, linhaça, tomate, estrago e pão de azeite que elevou imediatamente o nível para os restantes momentos. Lembro-me de fechar os olhos e de me deixar guiar pelo “momento da horta”, onde nos foi servido alcachofra, curgete e aioli, numa combinação simplesmente perfeita.

Deixem-se guiar por uma refeição memorável e ouçam as sugestões de vinhos dadas pelo atencioso Sommelier.

Restaurante Epur

Belcanto

O Belcanto, como existe hoje, abriu em 2012 pelas mãos de José Avillez, depois de já ter tido outra vida passada. Distinguido com duas estrelas Michelin, em pleno Chiado, proporciona uma viagem gastronómica e sensorial absolutamente única. O restaurante é pequeno (tem apenas 10 mesas), o que lhe confere um carácter exclusivo, intimista e algo misterioso.

Existem dois menus de degustação. Cada prato conta uma história e tem como principal objetivo emocionar quem o aceita provar. A experiência começa desde o momento em que o prato nos é apresentado; afinal, os olhos também comem. A galinha dos ovos de ouro, a azeitona explosiva ou o leitão revisitado são apenas alguns dos momentos que primam pela originalidade e combinação perfeita de texturas e sabores.

É possível oferecer um voucher para uma refeição no Belcanto (como, de resto, de todos os outros restaurantes do Avillez, aqui).

Restaurante Belcanto

100 maneiras

Ljubomir Stanisic diz que não come para viver, vive para comer. Em 2009, abriu este restaurante, em pleno Bairro Alto. Com apenas 30 lugares sentados, o chef desenhou uma experiência destinada a elogiar as texturas, sabores, aromas e cores dos ingredientes que lhe povoam a imaginação e o paladar. Este é, por excelência, o laboratório onde testa, compõe, arrisca.

Todas as estações, um novo menu chega às mesas do 100 Maneiras para surpreender, dar a conhecer e conquistar. Sem pretensões, com irreverência, humor e com amor, acima de tudo. Exemplo perfeito é o prato de assinatura do restaurante, o único que nunca sai do menu (e que, mesmo por ser especial, também nos marcou e não nos saiu da cabeça), tendo-se tornado símbolo indiscutível do 100 Maneiras: o Estendal do Bairro. Um mini-estendal que representa os estendais de roupa colorida nas janelas lisboetas, com molas coloridas e chips de bacalhau estendidas.

Existe um único menu de degustação, com vários pratos de peixe e marisco – uma declaração de amor ao mar e a um dos melhores produtos que temos.

Restaurante 100 maneiras

Prado

O lema é: se não for da época, não vai à mesa. O Prado celebra o melhor que Portugal tem para oferecer, da terra ao mar.Todos os pratos são baseados em ingredientes nacionais, sazonais e frescos. Para acompanhar têm os vinhos são que são exclusivamente orgânicos, biodinâmicos e naturais.

O António Galapito passou algum tempo no Viajante de Londres com o Nuno Mendes e arriscamos dizer que é daí que vem grande parte da sua inspiração. A cozinha de autor, em pequenas porções e sempre para partilhar, reflecte ao mesmo tempo o extremo cuidado na confecção dos alimentos e o despretensiosismo do chefe.

Começar com o pão da Gleba, acompanhado pela manteiga com algas e a banha de porco preto. Passar pelos pratos vegetarianos (como a couve grelhada com massa pimentão e trigo sarraceno) ou os melhores peixes e mariscos portugueses podiam ser razões mais do que suficientes para não querer sair de lá. Mas depois prendemo-nos pela experiência sensorial da sala. E de facto os olhos também comem neste caso. Muita natureza, um ambiente clean que consegue ser soberbo e descontraído ao mesmo tempo.

Podem, no site do Prado, adquirir um cartão presente com o valor que desejarem, o que facilita imenso o processo do presente de Natal ideal!

Restaurante Prado

 

Estas são as nossas experiências mais especiais. Uma das coisas que combinámos assim que casámos foi que sempre que possível oferecíamos um ao outro estes momentos felizes, mais do que qualquer objecto. Já oferecemos viagens, concertos, noites em pousadas e muitas refeições. No dia em que fazemos anos de casados vamos sempre jantar a um restaurante que nos proporcione um momento elegante e delicioso, para relembrar o nosso dia e criar novas memórias. São ocasiões especiais que recordaremos para sempre.

 

As fotografias são dos respectivos sites.

Escrito por: Joana

Joana. Casada com o João. Mãe do Sebastião. Mãe emprestada de uma Teckel, a Sushi, e de um gato rafeirão, o Tozé. Vive em frente ao mar e adora o campo. Quer alcançar o significado da palavra devagar. Viver devagar, saborear cada segundo e cada detalhe. Ler mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *