Gerês, uma casinha no meio da floresta

Queríamos muito sair os três durante uns dias antes do final do ano. Depois de muitas pesquisas por voos, capitais europeias e destinos baby friendly acabámos por simplificar e deixar-nos levar por um sítio que ainda nenhum de nós conhecia, o Gerês.

Fomos no início da semana e a primeira paragem foi para almoçar no Porto (temos de considerar várias paragens pelo caminho com um bebé de 15 meses) e a primeira visita que fizemos no Gerês foi a um parque infantil com vista para o rio e a floresta envolvente. Que óptima forma de começar!

Assim que avistámos a nossa casa que encontrámos através do Airbnb foi amor à primeira vista. Escondida no meio de todo aquele verde, já com alguns tons de outono, com uma privacidade excelente e uma vista deslumbrante. Uma cabana perdida perfeita para descansarmos aquela semana.

A casa perfeita para ir em casal com os filhos ou com mais amigos. Tem três quartos, duas casas de banho, sala com lareira, cozinha completamente equipada, aquecimento em todas as divisões para os meses mais frios.

Cá fora ficamos deliciados com o alpendre (onde tomámos o pequeno-almoço todos os dias), imenso espaço verde, uma piscina gigante que deve ser um arraso no verão.

 

 

Nos três dias seguintes passeámos pelos sítios que nos recomendaram: cascatas tahiti, miradouro da pedra bela, cascata do arado, cascata da portela do homem e muitos outros caminhos e paragens sempre que nos apetecia. Fomos comendo nos sítios onde estávamos, uma sopa para o Sebastião, um prato típico para nós (de onde ele depois comia sempre um bocadinho), descomplicar é a palavra de ordem como já referimos neste artigo.

A melhor forma de irmos a todo o lado foi sempre com o Sebastião na mochila. Agora já vai nas costas, afinal já são 10kg de gente. Fizemos algumas caminhadas até chegar aos pontos mais bonitos com ele assim. Ele apontava para todo o lado e dava gritinhos de felicidade sempre que nos cruzávamos com os animais daquela zona.

No verão deve ser mais concorrido, mas também uma altura perfeita para tomar banho nas cascatas, fazer outro tipo de percursos e saborear toda esta natureza de uma forma mais fresca.

Mas se me dão a escolher, estas cores são sempre a combinação perfeita. Não as troco por nada!

Escrito por: Joana

Joana. Casada com o João. Mãe do Sebastião. Mãe emprestada de uma Teckel, a Sushi, e de um gato rafeirão, o Tozé. Vive em frente ao mar e adora o campo. Quer alcançar o significado da palavra devagar. Viver devagar, saborear cada segundo e cada detalhe. Ler mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *