Equitação, a galope de um sonho

A Maria e o João sonharam. E esse sonho passou de trote para galope quando há pouco tempo deixaram o que faziam para trás e se dedicaram a ele a 100%. Mas afinal quem são eles e que paixão é esta que os levou a tratarem os cavalos por tu?

Foi o vosso amor por cavalos que vos juntou?

Maria – Sim, foi na Sociedade Hípica Portuguesa que tudo começou. Depois de montar um cavalo que era de um cliente do João nunca mais nos largámos. Tive direito a ser pedida em casamento na Golegã (capital do cavalo) e a um príncipe no seu corcel branco. Em relação à ligação aos cavalos, costumavam dizer que me tinham relinchado ao berço. Não me lembro de não ter este amor aos cavalos e de tudo fazer para ter um. Monto a cavalo desde os 5 anos, tirei o curso superior de Equinicultura na Escola Superior Agrária de Santarém, um pouco contra o gosto dos meus pais, pois achavam que não passava de uma tara minha. Terminei o curso com boas notas, fui convidada para tirar o curso de monitores de equitação pela Federação Equestre Portuguesa e assim começou a minha vida profissional equestre, ficando pelo meu Ribatejo a exercer. Anos mais tarde apercebi-me que talvez um futuro marido e filhos não fossem gostar desta vida e deixei o sonho em standby. Agarrei na minha outra paixão, as crianças, e tirei o curso de educadora e Professora Primária. Mas a vontade de montar continuava lá e comecei a frequentar em simultâneo a SHP onde conheci o João.

João – A paixão e ilusão à volta dos cavalos é comum e está na nossa cabeça todos os dias, desde pequenos e, é claro que facilitou e favoreceu todo o desenrolar da história. A Maria tem vários criadores e cavaleiros na familia. Tendo crescido no Ribatejo, Santarém, sempre teve um maior e mais próximo contacto com o “mundo dos cavalos”. Já eu, cresci em Oeiras sem ligação de qualquer tipo ao campo ou ao meio hípico. Recordo que o Dartacão montado no seu cavalo amarelo me seduziu e de ter pedido à minha mãe se me levava aos cavalos e foi aí que tudo começou.

Como passaram do sonho ao projecto?

Maria– Quando iniciamos o projecto, dava aulas no colégio durante o dia e ao fim do dia montava a cavalo e dava aulas de equitação. Foi uma fase cansativa, mas importante para perceber que toda a formação como educadora/ professora foram uma mais valia para a pedagogia equestre estando mais atenta e alerta para a singularidade de cada criança olhando-a com olhos de formadora e fazendo da equitação um desporto com um fundo educativo. Apesar do risco decidimos avançar. Com um cavaleiro como marido e sempre a meu lado acreditando no meu valor como educadora e cavaleira, foi possível voltar a ir atrás do sonho e hoje posso lhe agradecer ter permitido voltar às pistas e às aulas juntando as minhas duas grandes paixões, crianças e cavalos, e uma carreia como cavaleira de salto de obstáculos.

João– Antes de nos conhecermos já ambos tinhamos dado aulas de Equitação em diferentes casas e era-nos comum o gosto por transmitir e fazer crescer o conhecimento equestre. Praticamos duas áreas distintas, estando eu mais direccionado para a Dressage e a Maria para os Saltos de Obstáculos pelo que acabamos por nos complementar como um todo. A concretização deste projecto a dois acaba por ser a consequência natural do nosso dia a dia e como duas cabeças funcionam melhor que uma, acrescentando uma paixão e dedicação comum decidimos avançar.

O que podem as crianças/jovens desenvolver com o contacto com estes animais?

João– Sou parcial a responder a esta questão porque, a meu ver, o contacto com os cavalos só traz vantagens e virtudes a qualquer pessoa. Falando com base na nossa experiência diária, o que se nota realmente, é o aumento do foco e concentração, o respeito pelo próximo, a definição de objectivos e a gestão da frustração (nem sempre conseguimos o que queremos dos cavalos quando estamos a aprender). Irei mais longe talvez, mas convicto, que tem ainda uma forte incidência na maneira de estar geral  da criança, que aprende a comunicar e interagir com um animal com uma linguagem muito própria, de uma maneira calma e metódica, incitando a tolerância e o respeito, o que será concerteza um plus no dia a dia.

Maria – Está mais que provado em milhares de artigos publicados que o contacto com animais é essencial. Porquê cavalos? Os cavalos permitem praticar um desporto de uma forma divertida e com prazer, enquanto se tem o contacto com o animal. O cavalo faz parte da nossa equipa, um sem o outro não funciona. Todos os pontos que o João frisa volto a evidenciar, o respeito, concentração e a gestão de frustração, problema que mais se vê nos dias de hoje e que pode levar a situações extremas, complementando com a melhoria da auto-estima e da auto-confiança ajudando na necessidade de aprender a tomar decisões,  na ajuda a estabelecer limites, a diminuir a agressividade e na socialização. Promove relaxamento e alivio do stress. Para além deste carácter social tem todo um desenvolvimento motor associado. Melhora o equilíbrio, a coordenação motora e a postura corporal. Desenvolve os 5 sentidos, melhora os reflexos e desenvolve a orientação espaço-temporal.

Algum de vocês compete?

João– Ambos competimos. a Maria em Saltos de Obstáculos e eu em Dressage. Achamos essencial para crescermos enquanto profissionais e não estagnarmos. A Maria tem neste momento um experiente cavalo de Grande Prémio, o Zidane, e eu estou a preparar a carreira do Jivago, um Lusitano de 4 anos que nos parece ser uma boa aposta para o futuro, tendo já integrado o Projecto Cavalos Novos no Ensino, para o qual foi seleccionado.

Quais são os planos para o futuro? Agora com um novo membro na família?

João– Enquanto escola queremos crescer e fazer mais. Queremos conseguir tocar quem nos procura da mesma forma que somos “mordidos” todos os dias por este bichinho dos cavalos. Gostava muito de poder contribuir para que o meio crescesse, mostrando este mundo incrível aos mais novos. Queremos trazer mais seriedade e verdade nos métodos de ensino e o objectivo máximo é que possamos fazer a diferença, quer desportiva, como socialmente ajudando as crianças e jovens que passam no nosso caminho a serem adultos mais conscientes e responsáveis, o que consequentemente os fará mais felizes. Em termos desportivos, esperamos atingir performances de excelência constantes e chegar o mais longe possível. Tenho a grande convicção de ver a Maria regularmente no topo e de fazer os nossos alunos enveredarem pelo mesmo caminho. Já temos equipas formadas (cavalos e cavaleiros) e esperamos formar muitas mais para mais e maiores sucessos. Temos aínda em curso uma outra paixão, a criação de cavalos, de onde já começaram a sair algumas surpresas, que esperamos serem o garante do nosso futuro e do nosso sucesso. Ah, e que o nosso mais recente projecto, a Luísa, vá aos jogos Olímpicos logo com 10 aninhos ou coisa assim!

Maria– Adorava ver o nosso conceito de equitação crescer, conseguir passar este amor e respeito pelo cavalo a todos os que queiram passar por perto de nós. Ver os meus alunos crescidos e formados a passarem por lá e eu conseguir identificar que realmente fiz diferença nas suas vidas com ajuda deste maravilhoso animal. Ver os nosso poldros crescer e ensiná-los da forma como acredito que um cavalo deve ser ensinado. Continuar a competir o melhor e mais alto nível possível acreditando que os sponsors e investidores verão em nós e na nossa casa quem melhor os represente. O maior sonho de todos é ver a minha família feliz porque acredito que não há maior felicidade que fazer o que se gosta. Se esta paixão tembém correr no sangue da Luísa melhor e espero que a possa levar o mais longe possível. Se o amor dela não passar pelos cavalos certamente que estarei lá para a apoiar e a obrigar a ir atrás do que a realmente a faz feliz.

A Maria e o João fundaram a Escola de Equitação JMC Equestrian onde dão aulas de equitação, em grupo ou individuais e têm póneis para os mais pequenos. Fazem aperfeiçoamento técnico e treinos de obstáculos e dressage e também têm Estágios Profissionais. Nas férias dos mais novos fazem workshops. A primeira aula é gratuita.

São ambos credenciados pela IPDJ e têm formação pedagógica.

 

JMC Equestrian
Hipódromo do Campo Grande
jmcequestrianteam@gmail.com
João Maria Costa-914349011
Maria Moreira Costa-916200360

Escrito por: Joana

Joana. Casada com o João. Mãe do Sebastião. Mãe emprestada de uma Teckel, a Sushi, e de um gato rafeirão, o Tozé. Vive em frente ao mar e adora o campo. Quer alcançar o significado da palavra devagar. Viver devagar, saborear cada segundo e cada detalhe. Ler mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *