Paros, uma ilha com muito para descobrir

Depois de Naxos e Folegandros, duas ilhas tão diferentes mas ambas com tanto para ver e gostar, já não ia com grandes expectativas para Paros. Talvez por isso, surpreendeu-me imenso! Chegámos a Paros quase ao final do dia, depois de um atraso no barco que era suposto sair de Folegandros ainda de manhã.

Paros é uma ilha mais pequena que Naxos, mas ainda assim com bastante movimento, muitas praias à volta de toda a ilha e algumas vilas muito pitorescas. Foi até eleita a melhor ilha para visitar na Europa em 2018.

Escolhemos ficar no sul da ilha, em Aliki, uma vila piscatória com a sua graça. Pequena, mas com uma promenade com vários restaurantes, uma baía com barcos, e mais algumas praias bonitas por perto.

Ficámos numa vila muito familiar, onde fomos recebidos lindamente pela dona, que nos explicou logo tudo sobre a ilha. Alugámos um carro para os três dias seguintes, já que não há muitos transportes na ilha e a melhor forma de conhecer tudo é mesmo de carro.

No dia seguinte, começámos a percorrer a ilha pelo lado este, à medida que íamos parando em algumas praias. Nestes dias, o vento que se costuma fazer sentir nesta altura esteve bastante forte. No entanto, e como estava calor, dava sempre para fazer praia e ir passeando. 

Parámos na praia de Lolantonis e depois em Piso Livadi, para almoçar. À tarde, continuámos a percorrer a estrada para norte, parando em algumas praias até à ponta mais a norte da ilha, Santa Maria.

Há praias para todos os gostos, de areia ou pedras, com mais ou menos vento, mais ou menos adequadas para a prática de alguns desportos aquáticos.

Ao final do dia, depois da praia, fomos a Naoussa. Fiquei rendida a esta vila, uma das mais bonitas de toda a viagem, sem dúvida. Mais até do que a beleza, a atmosfera conquistou-me. 

As habituais ruas estreitas com casas bonitas e muitas buganvílias também não faltam. Mas depois eram os cafezinhos, as esplanadas, a exposição para o mar, com o sol a pôr-se mesmo à nossa frente. Os restaurantes a encherem-se de gente à medida que o sol se aproximava do horizonte, a música que ecoava pelas ruas, os sítios onde apetecia ficar a beber um copo de vinho e a ver o mar ou as pessoas a passar.

Adorei este dia e agora, à distância já de um mês da viagem, é dos que me recordo com mais nostalgia e alegria, do bom que foi!

No dia seguinte, atravessámos no ferry (5 minutos) para ir conhecer a pequena ilha de Antiparos, mesmo ao lado de Paros. A ilha é pequena mas diz-se que atrai algumas estrelas de Hollywood e que até o Tom Hanks tem lá uma casa! Não o vimos, mas de facto a ilha tem o seu charme, com um centro engraçado e praias bonitas.

Fomos à praia de Soros, mais a sul, e depois almoçámos no Captain Pipinos em Agios Georgios, mesmo em cima do mar. O centro é pedonal, com várias lojas e praças com esplanadas.

Depois de nos termos todos deliciado com um gelado artesanal, voltámos para Paros. Queríamos ainda aproveitar o final do dia para ir a Lefkes, uma vila no interior, no meio das montanhas, que nos tinham recomendado por ser muito pitoresca. Passeámos e jantámos por lá – mais um sítio a não perder em Paros.

No nosso último dia completo em Paros, fomos à praia no norte, em Kolimbythres. A praia é de areia mas tem várias formações rochosas que vão delineando pequenas baías e recantos. Engraçada e muito agradável, com um mar-chão cristalino e óptimo para o Lourenço.

Das coisas que tenho mais saudades desta viagem é mesmo deste mar, com aquela temperatura e cor incríveis!

Depois da praia ainda fomos a Parikia, a vila principal da ilha, que também tem bastantes recantos para explorar.

Paros foi uma óptima despedida das ilhas gregas e desta nossa viagem, que está quase a chegar ao fim. Não percam, na próxima semana, o última capítulo desta odisseia: Atenas!

Praias

Kolimbythres

Lolantonis

Santa Maria

Kalogeros

 

Restaurantes

Agosta ou Amelie – em Naoussa, para beber um copo ao final do dia

Barbarossa – Naoussa

Aranto – Lefkes

Balcony – Aliki

Captain Pipinos – Antiparos

 

A não perder

O pôr-do-sol em Naoussa, numa das esplanadas viradas para o mar (Agosta, por exemplo).

Passear pelas ruazinhas de Naoussa e jantar no clássico Barbarossa

Atravessar no ferry para Antiparos

Ir a Lefkes, uma vila pitoresca no meio das montanhas

Explorar Parikia, a principal vila da ilha

 

Podem ainda ver aqui o itinerário completo da nossa viagem, com todos os detalhes e dicas para planear a viagem, aqui o artigo sobre Naxos e aqui sobre Folegandros.

Escrito por: Francisca

Alfacinha e fã assumida da sua cidade. Nasceu e cresceu em Lisboa e embora adore sair e viajar, gosta sempre de voltar. Gosta de dias de sol, flores campestres, coisas imperfeitas e mergulhos no mar. Ler mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *