Viajar com crianças e bebés

Estas férias foram a primeira grande viagem do Lourenço, com 2 anos e 2 meses. A Joana também já tinha viajado com o Sebastião até aos Açores quando ele tinha 7 meses. Reunimos as nossas melhores dicas e recomendações para tornar as viagens mais fáceis e tranquilas para todos, quando se viaja com bebés ou crianças e até na gravidez. Os voos, as mudanças de rotina, as dormidas, a comida – tudo é novidade mas o grande truque é (só) um: descomplicar!

grécia

Viajar de avião

Os bebés podem viajar sem pagar até aos 2 anos e vão ao nosso colo; a partir dos 2 anos, é obrigatório terem lugar sentados e pagam uma parte do bilhete, dependendo de cada companhia.

Nem sempre é possível, mas se der para conjugar o voo com as horas de sestas/dormir, melhor.

Pode ser importante levar à mão a chupeta e o boneco preferido (para dormir), agasalhos (casaco/meias), uma manta ou qualquer coisa confortável para tapar/aconchegar. Pode-se sempre pedir mantas e almofada no avião, mas nem sempre há disponíveis.

Se o bebé ainda mamar, é importante amamentar na descolagem e aterragem, por causa dos ouvidos. Para crianças mais crescidas, a chupeta ou dar qualquer coisa para comer e mastigar durante estes momentos pode ser uma boa solução.

Levar alguns brinquedos, livros e lápis para pintar e, eventualmente, episódios do Netflix descarregados para ver no tablet.

Levar comida/snacks saudáveis – purés de fruta, tostas, leite ou iogurtes, pão, palitos de cenoura – aquilo que eles gostarem mais. Algumas ideias aqui, para pequenos e grandes.

Levar o carrinho até à porta do avião é comum em quase todas as companhias. Normalmente devolvem logo à saída do avião, à chegada, ou então com a restante bagagem (confirmar no check-in ou com a tripulação).

Levar pelo menos uma mala ou mochila no avião com os básicos para todos (uma muda de roupa, as fraldas, etc.), para o caso de as malas se perderem ou demorarem mais a chegar (não assim tão raro).

Normalmente há prioridade no check-in e no embarque no avião, ou pelo menos há uma fila especial para famílias com crianças pequenas.

 

Dormir & Alimentação

Nos sítios onde for possível, alugar um apartamento pode ser uma boa opção. Normalmente há mais espaço, maior independência até para os pais e pode-se cozinhar.

Perguntar sempre com alguma antecedência se têm berço/cama de viagem disponível.

Se o bebé ainda não comer tudo e o destino não for muito fácil/parecido em termos de alimentação, talvez seja melhor levar alguns boiões. No entanto, em quase todos os destinos se encontra comida adaptável ou supermercados com estas opções, por isso basta levar para as primeiras impressões.

Ir aos supermercados ou mercearias locais para ter snacks on the go (fruta, bolachas, etc.) – mais uma vez, podem-se levar alguns só para as primeiras impressões, até comprar.

Evitar as ‘horas de ponta’ nos restaurantes pode facilitar as refeições com os mais pequenos – às vezes basta ir meia hora mais cedo que o habitual para sermos dos primeiros a sentar e a ser servidos.

 

Descomplicar!

Ser flexível com o itinerário, com os planos e com os horários – não querer planear demasiado as coisas ou fazer tudo ao ritmo a que se está habituado sem crianças.

Levar marsúpio para viagens que requerem andar por alguns trilhos ou caminhos onde o carrinho não dá tanto jeito.

Pack light – pode ser difícil, mas compensa! Levar menos coisas facilita andar de um lado para o outro, mas pode ser necessário lavar alguma roupa em algum ponto da viagem – para isso, levar um frasco pequeno com detergente para lavar coisas básicas à mão ou procurar uma lavandaria são algumas soluções.

Comprar fraldas, toalhitas e outras coisas que possam ser dispensáveis levar já no destino (mas claro, não esquecer de levar um mínimo a contar com a viagem e o primeiro dia).

Ter toalhitas, lenços de papel e desinfectante sempre à mão.

 

Viajar grávida

Consultar com antecedência até que semana a companhia aérea deixa voar e ver se requer algum formulário especial.

Levar a declaração médica que atesta que a gravidez está a decorrer sem problemas e a data prevista do parto.

Há sempre prioridade, tanto na segurança como no check-in.

Ter ainda mais cuidado com a hidratação (beber bastante água durante o voo).

Utilizar meias de compressão/descanso durante a viagem e andar periodicamente.

Fazer o cartão de saúde europeu (caso a viagem seja dentro da Europa) e/ou um seguro de saúde/viagem como referimos aqui.

 

viajar com crianças

Escrito por: Francisca e Joana

Somos a Joana e a Francisca, alinhamo-nos na simplicidade das coisas e complementamo-nos nas diferenças do dia-a-dia. Queremos partilhar o que nos inspira e o que nos leva a ser mais felizes. Acreditamos que esta partilha tem também o poder de inspirar o mundo a fazer o mesmo. Ler mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *