Holanda, uma viagem sobre duas rodas

No final de março fizemos uma viagem a dois para o país com mais bicicletas por metro quadrado (não vi nenhuma estatística, mas vou arriscar): a Holanda.

Já conhecia Amsterdão, mas desta vez fomos para Roterdão, um “hub a explorar, vibrante, fervilhante e corajoso, o núcleo onde se semeia arquitectura, onde brotam árvores flutuantes, camadas em cima de camadas e projectos orgulhosamente locais”, como tão bem ilustra este artigo.

Ficámos em casa de um amigo e a partir de Roterdão fomos de comboio a Amsterdão (adoro e gosto sempre de voltar), a Delft e a Antuérpia, na Bélgica.

Foi uma viagem óptima para passear, descansar, andar de bicicleta e aproveitar o tempo a dois.

holanda

Em Roterdão, andámos quase sempre de bicicleta e por isso deu para conhecer muitos sítios. Gostei imenso da vida desta cidade, que se tem desenvolvido imenso nos últimos anos, com uma arquitectura bastante modernista, depois de ter ficado quase toda destruída após a Segunda Guerra Mundial.

Além dos passeios de bicicleta, fomos a mercados, jantámos algumas vezes fora e vimos também algumas exposições, nomeadamente uma de hiper-realismo no Kunsthal, muito boa!

Em Amsterdão passeámos por alguns dos sítios que já conhecemos e adoramos – Jordaan, canais principais, mercado das flores, no Singel – e fomos ainda à exposição do Bansky e do Roy Liechenstein, no MOCO.

Adorei Delft, apesar do dia meio chuvoso que apanhámos. Uma cidade com canais ao estilo de Amsterdão, mas mais pequena e ainda mais engraçada (sem metade do movimento e dos turistas de Amsterdão). É uma cidade cosy e com imensos sítios com pinta, por isso recomendo mesmo!

Ainda fomos a Antuérpia (no norte da Bélgica), que fica a uma hora de comboio de Roterdão, onde aproveitámos para passear sem pressas e também para encontrar uns amigos.

holanda

 

Viagem

Voámos para Amsterdão (por causa do preço e conveniência do horário do voo), embora haja voos directos para Roterdão. No aeroporto de Amsterdão, apanhámos um comboio directo para Roterdão que demora cerca de meia hora.

 

Highlights

Roterdão

Bertman’s (brunch)

Picknick (brunch/almoço)

Tosca (jantar)

Fenix Food Factory (espaço estilo industrial com várias opções óptimas para comer – ideal para almoçar)

Kunsthal (museu de arte contemporânea)

Amsterdão

Greenwoods (brunch ótimo e sumos naturais deliciosos! Tem uma esplanada sobre o canal)

Buffet van Odette (brunch/almoço buffet ou para simplesemnte beber um copo de vinho ao final do dia e ficar a ver as pessoas a passar)

Brix (restaurante/café com uma atmosfera cool e descontraída e com um pátio atrás)

MOCO (exposição Banksy e Roy Lichenstein)

Delft

Kek (café com ambiente muito cool e brunch o dia todo!)

‘t Postkantoor (uma antiga estação de correios, convertida em restaurante)

Antuérpia

St. Vincents (uma loja linda com um espaço de café, onde passámos boa parte da tarde enquanta lá fora chovia)

Jam (um café pequeno e acolhedor, onde se pode almoçar qualquer coisa leve e saborosa – e apanhar sol, quando ele aparece!)

 

 

Este artigo, publicado recentemente no Público, também fala destes sítios.

Escrito por: Francisca

Alfacinha e fã assumida da sua cidade. Nasceu e cresceu em Lisboa e embora adore sair e viajar, gosta sempre de voltar. Gosta de dias de sol, flores campestres, coisas imperfeitas e mergulhos no mar. Ler mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  • Que giro vieram a Delft!! Vivo aqui ha 2 anos e continuo todos os dias apaixonada por esta cidade!! E foram a 2 dos meus sitios preferidos para comer!!