Actividades para fazer em casa (18 aos 24 meses)

actividades 18-24 meses

No inverno, seja quando está mau tempo no fim-de-semana ou seja porque estão doentes e não vão à escola, há alguns dias passados em casa. Nem incluo aqui pais/mães que ficam com os filhos em casa até aos 3 anos, porque esses, para mim, têm de ser profissionais no que toca a entreter crianças e têm toda a minha admiração.

Por aqui os dias passados em casa são sempre mais desgastantes. Sinto-me muitas vezes esgotada ao fim de um dia em casa sozinha com o Lourenço, que tem agora 21 meses, na linguagem de pais (quase 2 anos para os amigos). Acho que faz parte da idade e da fase (e imagino que também do temperamento de cada criança), mas a energia dele parece não acabar (às vezes nem sesta faz), e tem o foco de uma criança desta idade, em que ao fim de 5 minutos a fazer uma coisa já está a mudar para outra. Por outro lado, claro que ainda não tem a autonomia que lhe permita estar períodos mais longos entretido sem solicitar a nossa atenção e necessita de vigilância para não ter ideias peregrinas que sejam potencialmente perigosas.

Normalmente deixo-o simplesmente fazer e brincar com que quer. Tem vários momentos de brincadeira livre, montamos legos, lemos histórias, fazemos puzzles e desenhos. Mas no outro dia, ao fim de dois dias em casa com ele, decidi que precisava de inventar mais coisas novas e diferentes para fazermos.

Então pensei em algumas brincadeiras, super simples, mas que sempre o mantiveram entretido mais do que 5 minutos e foram divertidas para ambos.

actividades 18-24 meses

Pintar com aguarelas

Está é básica, mas normalmente em casa pinta com lápis (confesso, gosto de coisas práticas e que não sujem muito). Na escola farta-se de fazer coisas com tintas e pinturas mas em casa foi a primeira vez. E parece que gostou. Pegou nos pincéis e fez um desenho para o Pai e outro para a Mãe (foi ele que disse!). Quando acabou disse “já tá” e foi à sua vida.

Mas considero que foi um sucesso porque já pediu para fazer mais vezes e até que ficaram giros (eu sei, os rabiscos dos nossos filhos nos parecem-nos sempre giros!).

Dar banho aos bonecos

Ele tem dois bebés – o João e a Nonô – que adora e anda sempre a passear no carrinho. Um deles dá para despir completamente e ele volta e meia gosta de lhe tirar a roupa. No outro dia, começou a levá-lo para a casa de banho e a dizer que ele precisava de “bano”. Eu achei o máximo então toca de encher o bidé de água e ele lá deu banho ao João. A seguir secou-o com a toalha e fez algumas coisas que acho que estava claramente a imitar o que fazemos com ele depois do banho. Foi engraçado de ver! O que não foi tão engraçado foi que o João ficou cheio de água lá dentro e eu resolvi tirar-lhe uma perna para tentar tirar a água (às escondidas dele, claro), mas depois não consegui voltar a encaixá-la (shame on me!). Tudo acabou bem, o Pai conseguiu encaixar a perna.

Cozinhar

Passamos algum tempo na cozinha e o Lourenço até já me “ajudou” a fazer algumas coisas (na verdade ele ajuda mais a comer, mas é uma boa companhia na mesma!). Desta vez achei que podia ser engraçado ele “cozinhar” enquanto eu também estava a fazer o almoço. Então dei-lhe uma panela, uma colher de pau, copos de medidas e massas coloridas. Foi uma animação (que durou pouco mais de 5 minutos, mas ainda assim, valeu a pena).

Jogar às escondidas

Não sei se aprendeu na escola, mas já há algum tempo que ele finge que está a “contar” para alguém se esconder. Desta vez resolvi levar a brincadeira para outro nível e jogámos às escondidas com o panda (o peluche preferido dele). O Lourenço contava e eu escondia o panda. Depois das primeiras duas vezes, que escondi em sítios fáceis e ele o descobriu logo, comecei a dificultar a coisa mas ele encontrava-o sempre. Valeu-nos 10 minutos de diversão.

E por aí, o que fazem com os vossos pequenos selvagens quando têm de ficar retidos em casa? Queremos saber, boas ideais nunca são demais!

Photo 1 by Jess Watters on Unsplash; Photo 2 by Kelli Tungay on Unsplash

SaveSave

SaveSave

SaveSave

SaveSave

Escrito por: Francisca

Alfacinha e fã assumida da sua cidade. Nasceu e cresceu em Lisboa e embora adore sair e viajar, gosta sempre de voltar. Gosta de dias de sol, flores campestres, coisas imperfeitas e mergulhos no mar. Ler mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *